A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf) do Mato Grosso estuda a possibilidade de exploração da energia solar na região, em atividades ligadas à produção no campo. A proposta, com a ajuda da empresa Elgin, é apresentar aos agricultores soluções simples para a exploração do potencial energético dos imóveis rurais. Com a energia solar, a economia em gastos com eletricidade pode chegar a até 90%.

De acordo com o secretário de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), Silvano Amaral, entre as atividades que podem ser geridas a partir do uso da energia solar, estão os sistemas de irrigação, poços artesianos, câmaras frias, agroindústrias, secador de grãos, resfriadores para produção leiteira, cercas elétricas para manejo de gado, entre outras.

O financiamento de equipamento para produção de energia será incluído pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Programa Mais Alimentos. O Programa é uma linha de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que financia investimentos em infraestrutura produtiva para a agricultura, como a aquisição de máquinas, equipamentos e implementos agrícolas.

Os juros do crédito variam de 2% a 5,5% ao ano, com até três anos de carência e prazos de até dez anos para pagar. A iniciativa financia projetos individuais de até R$ 300 mil e coletivos de até R$ 750 mil.

*Com informações do site Portal Solar